Ganhar e ser ganhado

(Gelcio Filho)

"Não perca tempo com quem não perde tempo com você." Quantas vezes escutamos isso? Naqueles momentos de consolo, de fossa mesmo. É aquele tipo de afirmação vã de uma autoestima elevadíssima, mas que no fundo sofre, por não ter reciprocidade em certo momento. É apenas uma declaração ‘pavão’, mera aparência, para esconder fraquezas pelas quais todo ser humano passa, cedo ou tarde. As pessoas não devem buscar aquelas outras que não perdem tempo com elas, tampouco as que perdem. Estamos falando de gostar, amar. Sim! Quando esses sentimentos inundam o coração, o tempo vira um mero coadjuvante na teia da vida, deixa de existir até. Perder não é algo bom nunca!
Tenha ao seu lado apenas aqueles que ganham e façam ganhar. Descarte as perdas de tempo e valorize os ganhos! Ame e permita-se ser amado, você só tem a ganhar!

Substantivando

O mesmo, o mais, o mais do mesmo.

O mesmo é conforto sempre. Aquela comodidade tão conhecida de saber como tudo vai acontecer. Não há motivos para trocar a velha poltrona acostumada àquele corpo cansado, depois de um árduo e longo dia. O mesmo é bom, proporciona momentos felizes, até o dia em que o mundo mostra o novo.

Já o novo assusta sim, pois é acompanhado da dúvida do que vem pela frente. O novo chega de mansinho, inesperado, galanteador, num momento em que a alma pede o mais e medo pede o mesmo. O novo é mudar! É assumir ter errado ao alimentar que o mesmo pode ser diferente. Dará certo? Sim, ou não. Ou dará certo por um tempo. Se não der, a gente tenta de novo, o novo. E assim o novo vai se tornando o mesmo até encontrarmos o novo que se renova a cada dia e que nos encanta.

Queira a redundância do novo, arrisque! Permita-se! Deixe o mesmo para aqueles que não têm a coragem de se desvencilhar das cômodas amarras. O tempo passa, o corpo pede, mas o mesmo, sempre será o mesmo.

É, e aí está você, mais uma vez nesta velha e confortável poltrona que já te conhece tão bem e proporciona muito, muito mais, do mesmo.

(Gelcio Filho)

Colorful and fun! on Flickr.Have a colorful and nice life!!!

Colorful and fun! on Flickr.

Have a colorful and nice life!!!

TIC TAC

por Gelcio Filho


Tic…tac…
E ali estava ela, sentada, observando-os. Alguns concentrados, outros quase que desesperados. Uns comprometidos e outros nem tanto, mas ainda assim estavam ali, conquistando-a cada um a seu modo.

Tic…tac…
De repente então ela se pôs a pensar no rumo que sua vida tinha tomado, nas suas escolhas e em como tudo isso envolvia outras pessoas também. A decisão de aprender veio nas entrelinhas, mas nada poderia te-la deixado tão feliz e completa. Mesmo diante das dificuldades, horas a fio pela madrugada analisando erros e acertos, planejando o dia seguinte, ela poderia dizer que se sentia realizada.

Tic…tac…
Sim, ela estava realizada por poder aprender um pouquinho a cada dia com aqueles que passavam em sua vida e que também sempre levariam consigo uma parte dela. Não poderia haver uma troca mais gratificante. Estava orgulhosa de si. Feliz! E isso era o que importava.

Tic…tac…
O tempo acaba anunciado pelo estridente som da sirene, tirando-a de seus devaneios. Ela então se levanta com um sorriso contagiante no rosto e diz:
- Muito bem, turma. O tempo acabou. Deixem a prova na mesa e estão liberados. Espero que tenham se saído bem. Até amanhã, alunos queridos.

TREZE DIAS

Era cinco horas da manhã. As luzes da boate haviam acendido, avisando que era hora de ir para casa. Carlos estava terminando seu último cigarro para ir embora, quando surge à sua frente aqueles olhos verdes, acompanhado de um sotaque estrangeiro, perguntando se tinha um isqueiro para emprestar.

Carlos entrega o isqueiro, tocando aquela pele clara e quente, que fez com que a excitação lhe percorresse o corpo como uma corrente elétrica. Seus olhares se cruzam, um sorriso convidativo se abre e então começam a conversar, absortos um no outro até que o segurança os convida a deixar o local, pois a casa já estava fechando.

O resultado não poderia ser outro. Foram para casa de Carlos e tiveram uma noite incrível. Os movimentos se davam de forma síncrona, com tanta intimidade e intensidade, como se aqueles dois corpos fossem apenas um. Sentiam um prazer que transcendia o físico, devido àquela inédita carga de sentimentos que os envolvia. Dormiram abraçados e da mesma forma acordaram. Carlos não conseguia entender o que se passava, pois tudo aquilo era novo para ele, que até então amargava uma pequena desilusão com o término recente de um relacionamento.

Decidiu então mergulhar naquele misterioso sentimento.
Os dias se passaram e para surpresa de Carlos, não havia sido apenas uma noite. Isso o deixava perplexo, pois era muito novo. Havia reciprocidade, carinho, atenção e aquele mesmo calor do primeiro dia. Os dois seguiam suas vidas, mas agora os pensamentos não eram mais ocupados pelos problemas do dia a dia, pois havia também um na cabeça do outro. Saíram várias vezes, conheceram os amigos um do outro, cozinharam juntos e tiveram em treze dias momentos que não tiveram em uma vida.

Treze dias!

Era chegada a hora de aqueles olhos verdes irem embora, voltar ao seu país. Decidiram fazer uma despedida, uma noite especial apenas para os dois, inesquecível. E realmente foi. Carlos foi ao seu encontro e ao descer do carro para receber aquela pessoa linda, dona daquele sotaque gostoso e envolvente, foram surpreendidos por dois sujeitos que, empunhando armas, gritavam para entregarem as chaves do carro e todo o dinheiro. Eles reagiram na tentativa de proteger um ao outro. Dois disparos interromperam a gritaria.

Ao ressoar dos dois tiros, Carlos sente uma pressão muito forte no peito e cai. E ali deitado, olhando para cima, percebeu o quanto o céu estava estrelado, especialmente bonito. Aqueles olhos verdes e úmidos surgiram diante de Carlos, ofuscando toda a beleza da lua que estava imponente no céu como uma importante espectadora. Uma felicidade sem tamanho o invadiu, fazendo-o esquecer da dor que sentia. E mesmo sem entender o que acontecia, ele se sentia feliz, pois nem mesmo aquele céu singular, conseguia ser tão incrível quanto àquela pessoa ali diante de seus olhos, implorando para que se levantasse. Lentamente os olhos de Carlos se fecharam, acompanhado das últimas palavras que ele ouvira da pessoa amada. Eu te amo!

O avião decolou. A vida transcorria como se nada tivesse acontecido. Cada um em suas rotinas e presos a problemas do cotidiano. Aquelas mesmas pessoas no coreto da praça, pela madrugada, bebendo e fazendo a algazarra de sempre. Notícias na TV, violentas, provocando indignação e medo, mas nenhuma reação daqueles que tomavam conhecimento. As crianças brincando no parque, domingo pela manhã. Pessoas nas ruas, fechadas em uma bolha, indiferentes ao que acontecia em torno delas. Tudo estava exatamente da mesma forma.

O sol estava indo embora, proporcionando um entardecer gostoso de primavera. Os pássaros voavam compondo um céu em tons de laranja e vermelho que contrastava com o verde vivo da grama. Carlos caminhava só, admirando cada traço daquela tarde perfeita desenhada pela natureza. Ele sentia o vento em seu rosto, suave e refrescante. Então parou, com os olhos cerrados e respirou fundo, sentindo toda aquela beleza vibrante a dominar seus sentidos. Foi exatamente nesse momento que ouviu uma voz chamando-o. Ele conhecia aquela voz e seu coração de repente começou a transbordar de felicidade. A voz estava mais próxima e um turbilhão de emoções o dominava nesse momento. Uma respiração ofegante calou aquela voz que o chamava e ele sentiu um conhecido calor próximo ao seu corpo. Carlos abriu os olhos e se deparou com aqueles olhos verdes e úmidos a fitá-lo. Então, com um largo sorriso disse: meu amor!

por Gelcio Filho

FREEEEEDOOOOOMMMMMMMMMMMM…

FREEEEEDOOOOOMMMMMMMMMMMM…

Viva e deixe viver…

Viva e deixe viver…

LONESTAR                                                                      
Engraçado! Percebi que muitas vezes começo algum texto com essa palavra. Hoje não poderia ser diferente, não pela ‘graça da coisa’, mas por alguns fatos me remeterem a isso. 
Sabe quando você escuta uma música milhares de vezes, gosta da música, porém ela nunca havia te tocado de fato? Então de repente alguém te fala “quero que se lembre de mim quando ouvi-la, pois ela sempre me lembrará você”. Naquele momento achei bonito e triste, por haver um turbilhão de sentimentos (saudades, carinho, admiração, frustração e de um jeito especial, amor), mas mesmo assim não havia parado para prestar atenção na música. Acabei de ouvi-la (com a alma) e agora escrevo sem parar, deixando meu coração falar embalado por uma linda melodia no repeat mode on, por uma música que diz simplesmente tudo. Cá estou eu, uma lonestar, esperando por um sinal. 
Como podemos desejar mal a alguém por quem nutrimos um sentimento tão especial? Não, eu não consigo. A música fez bater aqui uma dor que seria insuportável, se não houvesse um sentimento verdadeiro. Gostar de alguém é deixa-la livre para ir atrás do que a fará feliz. Esse é o verdadeiro sacrifício que lava a alma e acalenta nosso coração. Falando assim, parece fácil. Não, não é. Dói, mas passa. Infelizmente, para a maioria das pessoas isso não é tão simples de enxergar a princípio. Em dado momento, quando estava prestes a explodir (sim, pois sou um ser humano), pedi a Ele um instante de luz para agir (reagir), e a resposta foi rápida: VIVA E DEIXE VIVER.
Gostar é abrir a gaiola e deixar o pássaro voar. Ele irá embora, poderá passar por vários obstáculos, e há um grande risco de nunca mais voltar. Entretanto de uma coisa eu terei certeza, ele estará feliz. Se retornar, será com as próprias asas, por vontade própria e por saber que ali tem alguém em quem poderá confiar, alguém para chamar de seu. Voltando ou não, a vida seguirá e isso não quer dizer que a felicidade cabe somente a um. Parece clichê, mas se todos conseguirmos agir dessa forma, ouvindo um pouco o coração, o que tiver de ser, SERÁ! 
Não sou perfeito, longe disso. Em situações semelhantes já fiz coisas das quais hoje não me orgulho, mas pela primeira vez tenho a plena e absoluta certeza de que fiz a coisa certa, fizemos. Isso é libertador! Acho que é a verdadeira sabedoria. Para muitos pode soar como uma grande besteira, exagero até, mas não importa pois quando se trata de sentimento e isso não há como medir, criticar, julgar!
Mais cedo veio algo em meus pensamentos, que só o tempo e os tais obstáculos podem fazer enxergar: quero o novo, o inusitado! O que já passou deixa marcas permanentes fazendo com que nada seja como antes. Tentar é necessário, pois nos faz aprender o que vale a pena insistir e o que vale a pena deixar como uma boa recordação. Talvez seja isso, ou não. Mas algo é certo: seremos felizes, voando juntos ou cada um em seu caminho. O tempo é o amigo que trará essa resposta.
Norah continua cantando ao fundo, o cigarro morrendo no cinzeiro e as palavras acabando. Enfim, devemos seguir o caminho que achamos certo, minha lonestar. 
VIVA! VOE! Fique bem e eu estarei bem.

LONESTAR                                                                      

Engraçado! Percebi que muitas vezes começo algum texto com essa palavra. Hoje não poderia ser diferente, não pela ‘graça da coisa’, mas por alguns fatos me remeterem a isso. 

Sabe quando você escuta uma música milhares de vezes, gosta da música, porém ela nunca havia te tocado de fato? Então de repente alguém te fala “quero que se lembre de mim quando ouvi-la, pois ela sempre me lembrará você”. Naquele momento achei bonito e triste, por haver um turbilhão de sentimentos (saudades, carinho, admiração, frustração e de um jeito especial, amor), mas mesmo assim não havia parado para prestar atenção na música. Acabei de ouvi-la (com a alma) e agora escrevo sem parar, deixando meu coração falar embalado por uma linda melodia no repeat mode on, por uma música que diz simplesmente tudo. Cá estou eu, uma lonestar, esperando por um sinal. 

Como podemos desejar mal a alguém por quem nutrimos um sentimento tão especial? Não, eu não consigo. A música fez bater aqui uma dor que seria insuportável, se não houvesse um sentimento verdadeiro. Gostar de alguém é deixa-la livre para ir atrás do que a fará feliz. Esse é o verdadeiro sacrifício que lava a alma e acalenta nosso coração. Falando assim, parece fácil. Não, não é. Dói, mas passa. Infelizmente, para a maioria das pessoas isso não é tão simples de enxergar a princípio. Em dado momento, quando estava prestes a explodir (sim, pois sou um ser humano), pedi a Ele um instante de luz para agir (reagir), e a resposta foi rápida: VIVA E DEIXE VIVER.

Gostar é abrir a gaiola e deixar o pássaro voar. Ele irá embora, poderá passar por vários obstáculos, e há um grande risco de nunca mais voltar. Entretanto de uma coisa eu terei certeza, ele estará feliz. Se retornar, será com as próprias asas, por vontade própria e por saber que ali tem alguém em quem poderá confiar, alguém para chamar de seu. Voltando ou não, a vida seguirá e isso não quer dizer que a felicidade cabe somente a um. Parece clichê, mas se todos conseguirmos agir dessa forma, ouvindo um pouco o coração, o que tiver de ser, SERÁ! 

Não sou perfeito, longe disso. Em situações semelhantes já fiz coisas das quais hoje não me orgulho, mas pela primeira vez tenho a plena e absoluta certeza de que fiz a coisa certa, fizemos. Isso é libertador! Acho que é a verdadeira sabedoria. Para muitos pode soar como uma grande besteira, exagero até, mas não importa pois quando se trata de sentimento e isso não há como medir, criticar, julgar!

Mais cedo veio algo em meus pensamentos, que só o tempo e os tais obstáculos podem fazer enxergar: quero o novo, o inusitado! O que já passou deixa marcas permanentes fazendo com que nada seja como antes. Tentar é necessário, pois nos faz aprender o que vale a pena insistir e o que vale a pena deixar como uma boa recordação. Talvez seja isso, ou não. Mas algo é certo: seremos felizes, voando juntos ou cada um em seu caminho. O tempo é o amigo que trará essa resposta.

Norah continua cantando ao fundo, o cigarro morrendo no cinzeiro e as palavras acabando. Enfim, devemos seguir o caminho que achamos certo, minha lonestar

VIVA! VOE! Fique bem e eu estarei bem.

O TRIGO ENTRE DOIS PRÍNCIPES

image

O Amável! Era assim que chamavam aquele príncipe cheio de amigos e pessoas queridas. Durante os primeiros anos de vida, era um sociável patinho feio mas à medida que foi amadurecendo esse jovem príncipe foi desabrochando. As pétalas começaram a se abrir e ele então se tornou um belo príncipe, amado pelos amigos e muito cobiçado por onde passava, não pelo que aparentava, mas por quem era de verdade!

O rei e a rainha sempre cobravam uma atitude de Amável para que ele se preparasse para assumir o trono, tornando a pessoa mais poderosa do reino. Isso deixava o príncipe triste, pois pensava que nada adiantaria ter todo esse poder sem que tivesse alguém ao lado para compartilhar. É, ele começou a sentir falta de alguém.

O Amável tinha uma paixão especial, desde criança gostava de escrever cartas. Essas correspondências eram colocadas na cesta dos mensageiros, com destinatários aleatórios. Ali naquele papel ele expunha tudo o que sentia e tudo o que era. Só que o príncipe nunca recebia as respostas, pois os pais o proibiram de ter qualquer contato além do reino, por medo disso desvia-lo de seu precioso destino.

Certa vez um criado deixou cair uma carta e aquilo saltou aos olhos do príncipe, que rapidamente a pegou, se trancou em seu quarto e numa excitação descomunal começou a ler. Era uma resposta! A resposta de uma das cartas que escrevera para o nada. E o nada repentinamente havia se pronunciado.  Era um outro príncipe. O curioso é que aquelas belas palavras encantaram o Amável e ele se redobrava em artimanhas para se corresponder com o jovem príncipe Wallys.

Os dois estavam cientes de tudo o que os separavam, mas a crença na oportunidade de um futuro feliz era tão grande, que para Amável o cálice não estava meio cheio, transbordava. Ele se conhecia suficientemente para saber que só precisava de uma oportunidade para que suas vidas se transformassem. E essa esperança não o deixava enxergar que do outro lado o copo não estava tão cheio assim.

O tempo foi passando e o príncipe começou a perceber que as cartas de Wallys foram ficando espaçadas. O coração do Amável doía e ele decidiu cruzar os campos mágicos de trigo para alcançar Wallys. Então resolveu buscar orientação com mago do reino, que lhe advertiu sobre o perigo de se perder e que Wallys deveria guia-lo, chamando por seu nome até que eles se encontrassem. A travessia só poderia acontecer no solstício de inverno, pois seria a noite mais longa do ano. Caso o príncipe Amável não chegasse do outro lado até o amanhecer seria transformando em um cão e ficaria preso no campo por toda a eternidade. Diante de todos os riscos, a esperança e os sentimentos que nutria por Wallys encorajaram o jovem príncipe.

Anoiteceu! Wallys já estava do outro lado a chamar Amável com seu coração. O príncipe, com a rosa que cultivara para presentar seu querido, adentrou os campos mágicos, sendo guiado por aquela voz que o encantava. Quase ao amanhecer, o jovem desbravador já se aproximava do final, quando de repente a voz que o guiava começou a ficar confusa. Mal sabia Amável que o próprio coração de Wallys havia sido tomado por medos e anseios. Amável se perdeu! Wallys chorou! Amável também chorou! Então, como se a luz do sol banhasse com ouro os campos de trigo, amanheceu!

Até hoje quando o vento sopra pelo trigo, Wallys ouve o latir de Amável, cheio de amor, e aquele som, sem que entendesse, lhe dava forças para seguir sua vida. E aquele jovem príncipe que não conseguiu alcançar o outro lado, nunca se arrependeu do que fez. É um cão lindo, de pelos dourados, que se perde no meio do trigo. Sempre é visto com uma rosa na boca, a rosa de Wallys, e nunca mais deixou nenhum coração apaixonado se perder na travessia dos campos mágicos, guiando-os com o seu coração.

Fim!

image

Criado por Gelcio Filho

gelciofilho.tumblr.com

                                                        SEMEAR    

Tudo o que fizer na vida faça bem feito. Você só leva da vida o que semeou.

                                                 Semeie Deus
             Semeie Verdade
                                                                 Semeie Compreensão
                         Semei Carinho
                                                      Semeie Tolerância
                                                                                 Semeie Paciência
                                 SEMEIE A VIDA…SEMEIE O AMOR!!!

                                                        SEMEAR   

Tudo o que fizer na vida faça bem feito. Você só leva da vida o que semeou.

                                                 Semeie Deus

             Semeie Verdade

                                                                 Semeie Compreensão

                         Semei Carinho

                                                      Semeie Tolerância

                                                                                 Semeie Paciência

                                 SEMEIE A VIDA…SEMEIE O AMOR!!!